A Sessão Solene do Dia da Região Autónoma dos Açores, que se realizou na segunda-feira, dia 21, no concelho da Madalena do Pico, ficou assinalada pela imposição de 38 Insígnias Honoríficas a personalidades e a instituições.

Numa organização conjunta da Assembleia Legislativa e do Governo dos Açores, esta cerimónia distinguiu 23 personalidades, cinco das quais a título póstumo, e 15 instituições da Região.

O Dia da Região Autónoma dos Açores foi instituído pela Assembleia Legislativa em 1980. A data, observada em todo o arquipélago como feriado regional, celebra a "afirmação da identidade dos Açorianos, da sua filosofia de vida e da sua unidade regional", consideradas "base e justificação da Autonomia política que lhes foi reconhecida e que orgulhosamente exercitam".

As Insígnias Açorianas, cujo regime jurídico foi aprovado em 2002, visam distinguir "os cidadãos e as pessoas coletivas que se notabilizarem por méritos pessoais ou institucionais, atos, feitos cívicos ou por serviços prestados à Região".

Nos Açores existem quatro Insígnias Honoríficas, nomeadamente a Insígnia Autonómica de Valor, a Insígnia Autonómica de Reconhecimento, a Insígnia Autonómica de Mérito (com as categorias de Mérito Profissional, Mérito Industrial, Comercial e Agrícola e Mérito Cívico) e a Insígnia Autonómica de Dedicação.

A Insígnia Autonómica de Valor destina-se a agraciar "o desempenho, excecionalmente relevante, de cargos nos órgãos de governo próprio ou ao serviço da Região" ou "feitos cívicos de grande relevo".

Por sua vez, a Insígnia Autonómica de Reconhecimento visa distinguir "os atos ou a conduta de excecional relevância" de cidadãos portugueses ou estrangeiros que "valorizem e prestigiem a Região no País ou no estrangeiro", que "contribuam para a expansão da cultura açoriana ou para o conhecimento dos Açores e da sua história" ou que se "distingam pelo seu mérito literário, científico, artístico ou desportivo".

Já a Insígnia Autonómica de Mérito tem por objeto distinguir "atos ou serviços meritórios praticados por cidadãos portugueses ou estrangeiros no exercício de quaisquer funções públicas ou privadas".

Esta insígnia divide-se nas categorias de Mérito Profissional, "destinada a agraciar o desempenho destacado em qualquer atividade profissional, quer por conta própria, quer por conta de outrem", de Mérito Industrial, Comercial e Agrícola, "destinada a agraciar aqueles que, tendo desenvolvido a sua atuação nas áreas industrial, comercial ou agrícola, se hajam destacado por relevantes serviços para o seu desenvolvimento ou por excecionais méritos na sua atuação", e de Mérito Cívico, "destinada a agraciar aqueles que, em resultado de uma compreensão nítida dos deveres cívicos, contribuíram, de modo relevante, para os serviços à comunidade, nomeadamente nas áreas de ação social e cultural".

Por último, a Insígnia Autonómica de Dedicação "visa destacar relevantes serviços prestados no desempenho de funções na Administração Pública, bem como agraciar aqueles funcionários que demonstrem invulgares qualidades dentro da sua carreira e que, pelo seu comportamento, possam ser apontados como exemplo a seguir".

De acordo com a legislação que instituiu as Insígnias Honoríficas Açorianas, são deveres dos agraciados, em todas as circunstâncias, "prestigiar a Região" e "dignificar a insígnia por todos os meios".

 

 

Discurso de Sua Excelência a Presidente da ALRAA

 

 

Discurso de Sua Excelência o Presidente do GRA

 

 

Sessão Solene Comemorativa do Dia da Região Autónoma dos Açores

 

 

Almoço Comemorativo do Dia da Região Autónoma dos Açores

 

Diplomas

 

Notas Informativas da Presidência da ALRAA

 

Outros Anos | 2006 | 2007 | 2008 | 2009 | 2010 | 2011 | 2012 | 2013 | 2014 | 2015 | 2016 | 2017 | 2018